terça-feira, 23 de abril de 2013

Museu de Artes Assis Chateaubriand

Museu de Artes Assis Chateaubriand

 Surgido através da Campanha Nacional dos Museus Regionais, idealizada pelo jornalista Assis Chateaubriand, paraibano da cidade de Umbuzeiro, porém, grande magnata das comunicações a nível de Brasil, o Museu de Artes fora inaugurado em 20 de Outubro de 1967, sob o nome de Museu Regional do Nordeste.

A princípio, fora instalado onde se encontra atualmente, no edifício histórico do antigo Grupo Escolar Sólon de Lucena, construído em 1924 para abrigar a primeira escola estadual de Campina Grande, projeto arquitetônico do italiano radicado em João Pessoa, Hermenegildo Di Lascio.
Ao acervo foram doadas 120 obras de arte entregues ao presidente da FURNe, professor Edvaldo de Souza do Ó,  pelo jornalista Assis Chateaubriand, frutos de doações efetuadas por diversos segmentos da sociedade brasileira.


Entre as obras constam representações de grandes artistas do cenário nacional, como: Pedro Américo, Di Cavalcanti, Anita Malfatti, Cândido Portinari, entre outros.
O museu manteve-se neste local até o ano de 1974 quando atravessou a Av. Floriano Peixoto e instalou-se nas dependências do antigo prédio do Telegrafo, hoje Museu Histórico, permanecendo até a entrega do edifício construído pelo Prefeito Evaldo Cruz no Parque do Açude Novo, em 1976, obra de autoria do arquiteto Renato Azevedo.
Em 23 de dezembro de 1997, teve início o processo de restauração do antigo prédio do museu, onde funcionava a Reitoria da UEPB, sendo instalado a exposição de longa duração das obras doadas por Assis Chateaubriand. Dessa forma, gradativamente, ao longo de 10 anos, no segundo semestre do ano de 2007 o MAAC definitivamente retomou seu funcionamento às dependências do antigo Grupo Escolar Sólon de Lucena, seu local de origem, sob administração da Furne, Fundação Universitária de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão, tendo a UEPB dirigido o museu no período de 1987 a 2007, após a estadualização da antiga URNe, Universidade Regional do Nordeste.

Atualmente, o acervo artístico do MAAC conta com 566 peças, tendo enriquecido-a ao longo dos anos com doações expressivas promovidas por Jorge Amado, Banco Central do Brasil, Associação de Artistas Plásticos, Universidade de Guadalajara, entre outros.

“O MAAC faz parte de um complexo museológico afim, que permite um recorte sobre a História dos museus no Brasil, especialmente no que tratar da significação “museu de arte” e “mecenato de Assis Chateaubriand” (extraído do texto elaborado pelo MAAC para divulgação na 8ª Semana dos Museus/2010).
 
Novo Museu de Artes Assis Chateaubriand
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fontes:
Victor Moraes e CGRetalhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário